Incêndio no HUPES expõe insegurança das unidades geridas pela EBSERH

Incêndio no HUPES expõe insegurança das unidades geridas pela EBSERH

17 de junho de 2019

17/06/2019 - Mais uma vez o SINTSEF-BA vem a público repudiar a negligência da EBSERH no trato com a segurança dos seus trabalhadores e da população atendida nas unidades que gere. Há quase um ano criticávamos em uma nota a vigilância deficitária nas imediações dos campi da Universidade Federal da Bahia, que favoreceu o sequestro relâmpago de uma enfermeira, ao sair do trabalho. Desta vez a situação foi diferente, mas expõe da mesma forma a situação de vulnerabilidade a que estão expostos os trabalhadores, pacientes e demais frequentadores das unidades da Empresa: na quinta-feira, 13/06, um princípio de incêndio em uma sala do Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos (HUPES) levou à interrupção de procedimentos cirúrgicos e obrigou os pacientes a deixarem seus leitos e serem transportados para a porta do Hospital. Felizmente as chamas foram controladas a tempo e não houve vítimas.

A ação fundamental da primeira turma de brigadistas formados pelo Hospital foi fundamental para o combate ao incêndio. Sua própria criação é resultante das reivindicações dos trabalhadores por mais segurança no ambiente de trabalho. A pauta tampouco é exclusiva do HUPES: na Maternidade Climério de Oliveira, as obras de reforma nas instalações já se arrastam desde 2017, provocando diversos transtornos aos usuários e empregados. Como se vê, ainda há muito a ser feito.

Por serem instituições muito antigas, as unidades da UFBA geridas pela EBSERH carecem de uma infraestrutura adequada para situações de emergência. O HUPES, por exemplo, possui apenas extintores portáteis de incêndio. O sistema de hidrantes está inoperante, o que impede o combate a incêndio de maior proporção. Faltam rampas de acesso entre os andares para uma evacuação eficiente.

O Hospital das Clínicas já foi autuado pelo Corpo de Bombeiros e Ministério Público pelas irregularidades encontradas. Um projeto de combate a incêndios já está em fase de contratação, mas até chegar nessa fase foram quase três anos de espera. Ainda assim, depois de concluso, o sistema ainda precisará passar pela fase de execução, enfrentando todos os trâmites legais necessários até a contratação de uma empresa especializada.

Enquanto isso, no último dia 17 de maio, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que promoverá uma redução de 90% (isso mesmo: 90% !) na obrigatoriedade de Normas Regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho. Segundo o texto divulgado em suas redes sociais, a normatização é absolutamente “bizantina, anacrônica e hostil” e gera “custos absurdos” para as empresas. nesse segmento.

A ausência de equipamentos de proteção, carência de medidas coletivas ou o desrespeito às normas de segurança do trabalho costumam ser as principais causas de acidentes no ambiente de trabalho. O SINTSEF-BA está atento a essas questões e buscará uma reunião com os gestores da EBSERH para exigir providências. Somos contra toda forma de flexibilização de direitos e sempre estaremos na linha de frente da luta para defender mais políticas públicas e leis que protejam a classe trabalhadora e tragam segurança e melhorias nas condições de trabalho.

(foto:UFBA)

Núcleo de Comunicação e Imprensa. #Sintsef


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


SINTSEF

O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal no Estado da Bahia – SINTSEF/BA, foi fundado em 27 de agosto de 1989 e possui como lema ser: um elo de solidariedade e luta


Contate-nos

Ligue pra gente