Pular para o conteúdo

Empregados da CONAB reagem a declarações infelizes de diretor

  • Conab

04/07/2022 – Trabalhadores da CONAB responderam em um documento encaminhado ao presidente da Empresa as declarações equivocadas do Diretor da DIPAI (DIRETORIA DE INFORMAÇÕES AGROPECUÁRIAS E POLÍTICAS AGRÍCOLAS), Sérgio de Zen, durante a Jornada Confederação Nacional da Agricultura – CNA, com o título Eleições – 2022 – Segurança Alimentar, veiculada no dia 22/06/2022, com transmissão ao vivo pelo Youtube.

Questionado se ampliar as vendas em balcão da CONAB, pode ser uma dessas medidas para a segurança alimentar, a resposta de de Zen provocou a indignação da base: “Não, porque na realidade é uma intervenção direta do Estado no sistema produtivo, cria dependência dos produtores em relação aos produtos (especialmente o milho) e isso não viabiliza a produção local”. Segundo o ponto de vista do Diretor, este tipo de política seria “como dar morfina a alguém que está com dor: cria dependência e não consegue resolver o problema que realmente tenho”.

No documento (confira no anexo), a ASNAB observou que a afirmação deixa transparecer um total desconhecimento sobre o alcance social que o Programa de Venda em Balcão (PROVB) tem para a sociedade brasileira, pois entre outras questões o seu objetivo é viabilizar o acesso dos criadores rurais de pequeno porte aos estoques de produtos agrícolas sob gestão da CONAB, por meio de vendas diretas, a preços compatíveis com os do mercado atacadista local.

O PROVB consiste em um programa de abastecimento social inserido na Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM). Seu objetivo é viabilizar o acesso dos criadores rurais de pequeno porte aos estoques de produtos agrícolas sob gestão da Conab (atualmente, o milho em grãos). Constitui-se, ainda, em um canal de grande importância social para o escoamento e a venda dos estoques públicos, propiciando a democratização do processo de comercialização de produtos do Governo Federal.

Ademais, estabelece condições de igualdade e oportunidades. Isso porque os grandes compradores são assistidos pelos leilões públicos realizados por meio de Bolsas de Mercadorias, que se caracterizam por volumes maiores de compra e inviabilizam a participação dos pequenos criadores.

“É espantoso o despreparo desses gestores”, afirmou Celso Fernandes, Coordenador de Comunicação e Imprensa do SINTSEF-BA e empregado da CONAB. “A própria Gerência de Programas de Abastecimento reconhece que o PROVB cumpre o objetivo de facilitar o acesso ao principal insumo para alimentação animal e promover a inclusão social de criadores de pequeno porte em muitas regiões brasileiras, fortalecendo a atividade, gerando renda e empregos, e, consequentemente, contribuindo para inibir a migração populacional para os grandes centros urbanos”. Celso observa ainda que uma rápida consulta ao site da Empresa onde trabalha pouparia o diretor do DIPAI de omitir opiniões descabidas. “Gestores que desconhecem as políticas da própria Empresa em que trabalham e ainda as contradizem em nome de avaliações pessoais não podem continuar no cargo que ocupam”, conclui.

Fatos como esse só confirmam o que já alertamos reiteradas vezes neste e em outros espaços: o desmonte do Brasil e do serviço público é projeto do governo Bolsonaro. Seja através da desinformação ou de políticas que atacam os direitos fundamentais do povo brasileiro, em especial a parcela mais pobre da sociedade, para privilegiar uma elite econômica que deseja um Estado fraco e inoperante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.