Após mobilização, votação da PEC 32/2020 é adiada para terça-feira

17/09/2021 – A pressão contrária à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 32 (PEC 32/2020) da Reforma Administrativa só aumenta em todo o país e começa a dar resultados positivos. A votação da PEC que ocorreria nesta quinta-feira (16), foi adiada para terça-feira que vem (21). As campanhas contra a PEC convocam servidores e servidoras a aumentar a mobilização junto aos parlamentares para que ela seja enterrada de vez.

O SINTSEF/BA, é claro, não poderia ficar de fora e tem contribuído das mais diversas maneiras para fortalecer esta luta. Na última terça-feira, sindicalistas estiveram no aeroporto de Salvador munidos de faixas e cartazes para recepcionar os parlamentares que embarcam para Brasília. O sindicato também levou a pauta para as ruas, nas últimas mobilizações nacionais em favor do impeachment de Bolsonaro. Também contribui nos debates e atividades diversas com o DIEESE, CONDSEF/FENADSEF e a CUT envolvendo o tema.

Na quarta-feira, 14, a discussão na comissão especial da Câmara dos Deputados a respeito do substitutivo do relator da matéria, deputado Arthur Maia (DEM-BA), foi encerrada sem que houvesse votação. Enquanto o debate acontecia, manifestantes de todo o país se concentraram entre os ministérios da Agricultura e da Economia, e seguiram rumo ao anexo II da Casa de Leis.  

A votação, contudo, poderá ser retomada já na próxima terça-feira, 21. Mais um motivo para que as mobilizações de servidores e servidoras públicos em todo o país continuem e sejam intensificadas nas ruas e nas redes sociais nos próximos dias.

“A PEC 32 é um ataque ao serviço público. Promove o desmonte e a perda de direitos”, afirma Pedro Moreira, Coordenador Geral do SINTSEF-BA. As entidades estão cumprindo seu papel, pressionando deputados e senadores para votarem contra essa proposta inaceitável. Mas ela só será derrotada com a sua ajuda e a de todos/as que lutam por um serviço público de qualidade, pelo fim das privatizações e da corrupção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *