Pular para o conteúdo

Servidores voltam a se organizar para barrar reforma administrativa

  • Populares

04/10/2022 – Reeleito deputado federal por Alagoas, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, disse nesta segunda-feira, 3, que pretende colocar em pauta a votação, já na próxima semana a PEC 32/20, da famigerada reforma Administrativa.

A proposta que ameaça os serviços públicos brasileiros está com tramitação suspensa graças a uma imensa movimentação de milhares de servidores públicos, entidades, centrais sindicais e segmentos da sociedade civil organizada. O SINTSEF-BA, com o apoio da CUT e da CONDSEF/FENADSEF e outros sindicatos que representam o funcionalismo das três esferas, realizou várias manifestações pedindo seu arquivamento, como a recepção aos parlamentares baianos nos aeroportos. Essa luta foi decisiva para que a PEC não seguisse adiante naquele momento, como queriam Bolsonaro e os governistas.  

Considerada uma das piores peças legislativas sobre Administração Pública já apresentadas ao Congresso, a PEC tem vários efeitos nefastos que impactam a prestação de serviços públicos no Brasil, como a possibilidade de terceirização irrestrita dos serviços, permitindo que a corrupção seja facilitada e descontrolada.

O SINTSEF-BA já está retomando os contatos com as entidades parceiras para novamente organizar a mobilização contra essa Reforma Administrativa do Governo Bolsonaro. A ideia é pressionar os parlamentares em seus redutos eleitorais para que não aprovem a proposta, que é ruim para o Brasil e para os brasileiros.

O caminho da luta e da resistência é a melhor forma de chamar o povo brasileiro a somar-se nessa cruzada e evitar mais esse duro golpe nas conquistas e direitos sociais. É preciso não se deixar enganar pelas velhas mentiras usadas para dourar a pílula, como as veiculadas para a aprovação de outras reformas prejudiciais à sociedade, como a terrível Reforma da Previdência e a PEC do Teto de Gastos.

“O governo diz que precisa realizar a reforma administrativa para solucionar a questão fiscal e assim retomar o crescimento da economia. Disse o mesmo a respeito da Emenda Constitucional 95 (emenda do teto) e com as reformas trabalhista e da previdência, mas a situação só piorou. Como já anunciávamos à época da luta contra essas reformas, nenhuma delas teve qualquer força para gerar empregos, favorecer o crescimento e o desenvolvimento do país. Mas hoje os impactos negativos são sentidos pelo povo brasileiro”, alerta Pedro Moreira, Coordenador Geral do SINTSEF-BA.

Não acredite em mais essa MENTIRA de Bolsonaro. Participe da luta e pressione os parlamentares para que votem NÃO à Reforma Administrativa (PEC 32/2020).

(com informações da CONDSEF/FENADSEF)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.