Reforma da Previdência sequestra direitos e aprofunda desigualdades

Reforma da Previdência sequestra direitos e aprofunda desigualdades

25 de outubro de 2019

25/10/2019 - A Reforma da Previdência aprovada nesta terça-feira, 22, é mais uma tragédia apresentada pelo governo Bolsonaro. O plenário do Senado concluiu a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC 6/2019) – Reforma da Previdência – sem alterações. Os quatro destaques apresentados pela oposição na tentativa de reduzir os danos da proposta foram rejeitados. Assim, a matéria segue para promulgação. O destaque do Partido dos Trabalhadores — para permitir a aposentadoria especial de quem realiza atividades de risco — foi aprovado, mas os parlamentares concordaram em regulamentar o tema posteriormente por um projeto de lei.

“Todos perderão com essa reforma”, comentou o senador Paulo Paim (PT-RS) numa rede social. “A luta foi incansável. Demos suor e lágrimas. Mas, infelizmente, a tragédia anunciada se confirmou”, prosseguiu. Para ele, o caos só será percebido na hora da aposentadoria. “Você, seus filhos, netos e bisnetos pagarão a conta: mais pobreza, mais concentração de renda… O exemplo do Chile está aí”, alertou, em referência aos protestos que ocorrem no país há uma semana e que já deixou mortos, feridos, entre civis e policiais, além da destruição de 41 estações de metrô.

O país latino-americano também reformou sua previdência e retirou direitos dos trabalhadores. O regime de capitalização da Previdência que Bolsonaro (PSL) quer adotar no Brasil para, segundo ele, resolver o rombo nas contas públicas, foi adotado no Chile e o resultado foi o empobrecimento e a miséria dos idosos.

O Congresso ainda vai analisar outra proposta (PEC 133/19), do Senado, chamada “PEC Paralela”, que contém alterações e acréscimos ao texto principal, como a inclusão de estados e municípios nas novas regras previdenciárias.

Importa destacar que a aprovação da Reforma não encerra a luta do SINTSEF-BA, da CUT, CONDSEF/FENADSEF e demais entidades e segmentos que constroem a defesa de direitos. O sindicato seguirá cumprindo seu papel, alertando os trabalhadores, como durante a tramitação da Reforma no Congresso, quando promoveu (com a colaboração do DIEESE) assembleias e reuniões de base esclarecendo os principais pontos do projeto. Para o SINTSEF-BA, é fundamental continuar promovendo a organização dos trabalhadores e a unificação das lutas, protestando nas ruas até que esse governo finalmente seja derrotado.

Confira no quadro elaborado pela CUT algumas das principais mudanças na nova Previdência.

Dia do Servidor

Em virtude do feriado do Dia do Servidor Público, na próxima segunda-feira, 28/10, o SINTSEF-BA não funcionará e estará fechado. retornaremos normalmente na terça-feira, 29/10.

Núcleo de Comunicação e Imprensa. #Sintsef


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


SINTSEF

O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal no Estado da Bahia – SINTSEF/BA, foi fundado em 27 de agosto de 1989 e possui como lema ser: um elo de solidariedade e luta


Contate-nos

Ligue pra gente