Sintsef-ba e centrais sindicais convocam para lockdown dos trabalhadores nesta quarta, 24

22/03/2021 –  Não dá mais: graças à negligência e omissão criminosa do governo Bolsonaro, chegamos ao auge da pandemia que assola o país. Na semana em que nos aproximamos do catastrófico índice de 300 mil mortes, com uma média diária de óbitos próxima de 3 mil, não podemos nos omitir e nem esperar passivamente por qualquer ação positiva do presidente e sua equipe. Por isso, o SINTSEF-BA, toda a base da CONDSEF/FENADSEF realizam nesta quarta-feira, 24, um Dia Nacional de Lutas em Defesa do Serviço Público. No mesmo dia, a CUT e as demais centrais sindicais preparam um “lockdown nacional da classe trabalhadora”. A ideia é cruzar os braços por 24h em defesa da vida, por vacinas, respeito aos direitos, auxílio emergencial de R$ 600, empregos e contra as privatizações do governo Bolsonaro.

A PEC 32 é mais uma estratégia do governo Bolsonaro para enfraquecer o funcionalismo público e privatizar os serviços essenciais à população. Somos contra a Reforma Administrativa, pois ela abre espaço à terceirização dos serviços públicos, destruindo direitos como a estabilidade e atende a interesses políticos e não aos interesses do povo, como deve ser. Serão 15 anos sem novas contratações e concursos públicos, sem reajustar salários dos servidores, muitos deles que estão na linha de frente do combate à pandemia.

A mobilização do dia 24 também foi abraçada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. As entidades que convocam o lockdown preparam um manifesto nacional, que será divulgado nos próximos dias. O movimento sindical e popular entende que o agravamento da pandemia exige uma resposta contundente. A orientação das centrais é para ficar em casa, sem trabalhar, mesmo se o trabalhador estiver em home office.

Esvaziar as ruas no dia 24 será uma resposta a Bolsonaro, um negacionista que só prejudicou as medidas para o combate à pandemia. Nesta QUARTA-FEIRA, 24/03, junte-se ao SINTSEF-BA neste lockdown e fortaleça o Dia Nacional de Lutas em Defesa do Serviço Público. Não podemos descansar. Seguiremos com mobilização e pressão, até a vitória.

#VacinaJá #NenhumDireitoaMenos #AuxílioEmergencial

 

(Com informações da CONTRAF/CUT)