Arquivo de Notícias

ARQUIVO DE NOTÍCIAS

30/08/2019
Assembleia em Salvador elegerá delegados de base da FUNASA/MS.

29/08/2019 – Nesta terça-feira, 03/09, às 09h, o SINTSEF-BA promove em sua sede, em Salvador, uma Assembleia Geral dos Trabalhadores da FUNASA e Ministério da Saúde, incluindo os cedidos para estado e municípios como Salvador e região. O objetivo é fortalecer as lutas organizadas pelas centrais e movimentos populares e sindicais, eleger delegados sindicais de base da categoria e convocar os trabalhadores a reagirem à proposta de Reforma da Previdência, em trâmite no Senado.

A PEC da reforma já foi aprovada em dois turnos na Câmara, mas precisa passar pelo Senado. Caso sofra alguma modificação no texto em debate, o projeto volta para ser votado na Câmara. Ainda dá tempo: é possível barrar essa Reforma perversa. Por conta disso, para ajudar a esclarecer e sanar dúvidas porventura existentes sobre o tema, a assembleia contará com mais uma exposição temática da Supervisora Técnica do DIEESE, Ana Georgina Dias sobre os impactos da Reforma na vida dos trabalhadores e trabalhadoras.

Desde que foi anunciada, a Reforma da Previdência vem sendo duramente criticada e repudiada pela classe trabalhadora nas ruas, com protestos e paralisações, atrasos de turnos e atos nos locais de trabalho e atos públicos nas praças públicas de grande circulação de todo o Brasil. Centrais sindicais, como a CUT, continuam mobilizando suas contra a Reforma e os desmandos do governo Bolsonaro, o desemprego crescente, as privatizações e o desmonte de empresas estratégicas para o país como a CONAB e a Petrobrás, cujo sucateamento impacta diretamente nos aumentos abusivos dos preços dos alimentos e nos preços do gás de cozinha e dos combustíveis. A CONDSEF também tem acompanhado as audiências públicas no Senado e divulgou uma cartilha sobre a Reforma, dirigida aos trabalhadores do Poder Executivo. Clique no link para baixar: https://www.condsef.org.br/publicacoes/cartilha-os-riscos-reforma-regime-proprio-previdencia-uniao  

Apenas a pressão popular e as mobilizações de rua farão com que este governo recue em suas políticas de destruição. Mesmo com altíssimos índices de impopularidade, Bolsonaro segue fingindo governar em um ambiente de normalidade, tentando disfarçar as sucessivas e graves crises que provoca com suas declarações torpes e preconceituosas, além das denúncias que recaem sobre si e seus filhos. Enquanto isso, os ataques a direitos só aumentam, sobretudo aqueles a trabalhadoras e trabalhadores, ativos e aposentados, e as camadas mais vulneráveis dos trabalhadores do setor público e do setor privado.

Não podemos permitir que esses ataques prossigam. Venha para a assembleia. Informe-se, participe da luta e vamos todos juntos mostrar a esse governo a força de nossa indignação.