Arquivo de Notícias

ARQUIVO DE NOTÍCIAS

31/07/2018
Assembleia Geral nesta quarta-feira convocará base do Sintsef-BA ao Dia do Basta.

31/07/2018 - O Sintsef-BA realiza, nesta quarta-feira, 01/08, às 09h, uma Assembleia Geral dos Trabalhadores do Serviço Público Federal em sua sede, em Salvador. Um dos principais pontos de pauta é a convocação da categoria para aderir ao Dia do Basta organizado pelas centrais e movimentos populares e sindicais, que será realizada no próximo dia 10 de agosto nas ruas de todo o país. O protesto será marcado com paralisações, atrasos de turnos e atos nos locais de trabalho e nas praças públicas de grande circulação do Brasil.

O Dia do Basta está sendo chamado por centrais sindicais e movimentos sociais em defesa do emprego, da aposentadoria e dos direitos dos trabalhadores.Entre as centrais sindicais, convocam o ato a CUT, a CTB, a CGTB, a CSB, a CSP Conlutas, a Força Sindical, a Intersindical, a NCST Nova Central e a UGT.

A Condsef também convidou sua base para a mobilização. Servidores públicos de todo Brasil, empregados das empresas públicas precisam se mobilizar e unir-se à classe trabalhadora para defender o País que queremos. Basta de desgoverno. Em todo o Brasil assembleias já estão acontecendo para organizar a categoria em torno de mais um dia histórico de resistência contra a retirada de direitos e em defesa da classe trabalhadora. Entre as bandeiras de luta também estão a Revogação da Reforma Trabalhista e a Revogação da Emenda Constitucional 95.

Entre as lutas e reivindicações fazem parte da agenda nesse dia, dentre elas estão: criar políticas, programas e ações imediatas para enfrentar a falta de emprego e o subemprego crescentes, revogar a Emenda Constitucional 95/2016, que congela os investimentos públicos por 20 anos, renovar a política de valorização do salário mínimo, revogar pontos negativos da reforma trabalhista e da terceirização, que precarizam os contratos e condições de trabalho e assegurar o direito e o acesso ao Sistema Público de Seguridade e Previdência Social.

Não é possível conviver com um desemprego que atinge mais de 13 milhões de pessoas, muitas no desalento, sem esperança de uma mudança positiva no país, com empresas fechando e cada vez mais trabalhadores ficando sem seus direitos, além de uma lei (reforma) trabalhista selvagem e desumana.