Arquivo de Notícias

21/03/2018
Debate sobre abolição marcará Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial.

21/03/2018 - Hoje, 21 de março, é o Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), em memória à tragédia que ficou conhecida como “Massacre de Shaperville”, em 1960, na cidade de Joanesburgo, na África do Sul.

Na ocasião, vinte mil negros protestavam contra a Lei do Passe - que os obrigava a portar cartões de identificação, especificando os locais por onde eles poderiam transitar na cidade -- quando se depararam com tropas do exército, que abriram fogo sobre a multidão, matando 69 pessoas e ferindo outras 186.

Em Salvador, a data será lembrada no debate “Racismo, exclusão política e desigualdade”, às 17 horas, no Hotel Victória Marina, em Salvador. O objetivo é promover reflexões em torno dos 130 anos da abolição da escravatura no Brasil e as questões decorrentes deste fato histórico para o povo negro. O evento é realizado pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e integra a agenda da Década Internacional Afrodescendente na Bahia. No Brasil, o dia de hoje marca também a criação da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), criada pela Medida Provisória n° 111, de 2003, a partir do reconhecimento das lutas históricas do Movimento Negro brasileiro.

O debate contará com a participação do sociólogo, pesquisador e professor universitário Jessé Souza. Ex-presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Jessé é autor de diversos livros e analisa, dentre ouros temas, o patrimonialismo e os impactos do sistema escravocrata. A mesa também será composta pela titular da Sepromi, Fabya Reis, e pela vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra da Bahia (CDCN), Lindinalva de Paula. O evento tem entrada gratuita e contará com emissão de certificado.

O racismo é um flagelo social contemporâneo infelizmente ainda longe do fim. Para organizações internacionais, como a UNESCO, que querem o fim da opressão, o conhecimento da história e da memória dos crimes do passado pode nos permitir construir um futuro de paz, oferecendo um antídoto para o ódio e o preconceito. É nesse espírito que, desde 2015, a Organização associa esta data com  o tema “Aprender com tragédias históricas para combater a discriminação racial hoje”.

Para a UNESCO, é preciso lembrar que as tragédias do passado também lançaram luz sobre a coragem e a determinação daqueles que proporcionaram avanços da dignidade humana, lutando contra a opressão até que a escravidão foi abolida. É preciso fortalecer a luta contra as formas modernas de escravidão, opressão e discriminação. O combate ao racismo também passa por outras esferas, como pela adoção de políticas públicas mais eficazes de inclusão social e repressão às práticas discriminatórias.

(Com informações da SEPROMI)