Arquivo de Notícias

ARQUIVO DE NOTÍCIAS

23/02/2018
Fórum Social Mundial 2018 reunirá cerca de 60 mil pessoas em Salvador.

23/02/2018 - O Sintsef-BA é uma das entidades filiadas á CUT envolvidas na preparação do Fórum Social Mundial 2018 (FSM 2018) em Salvador. A 13ª edição FSM será realizada entre os dias 13 e 17 de março, em Salvador, na Bahia. Com a maior parte das atividades concentradas no Campus de Ondina da Universidade Federal da Bahia (UFBA), o evento conta ainda com atividades em territórios temáticos como o Parque do Abaeté, em Itapuã, e o Parque São Bartolomeu, no Subúrbio Ferroviário da cidade.

O FSM 2018 será o espaço de diálogo e convergência de cerca de 60 mil pessoas, de 120 países, que estarão na cidade com o objetivo de debater e definir novas alternativas e estratégias de enfrentamento ao neoliberalismo, aos golpes antidemocráticos e genocidas que diversos países estão enfrentando nos últimos anos.  Com o lema “Resistir é criar. Resistir é transformar!”, o Fórum visa promover a transformação do ser humano em busca de “Um outro mundo possível”.

Representantes de entidades de países como Canadá, Marrocos, Finlândia, França, Alemanha, Tunísia, Guiné, Senegal, além de países Panamazônicos e representações nacionais já confirmaram presença no evento, entre eles, o ex-presidente do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva; a presidente da Fundação Franz Fanon, Mireille Fanon Mendes France; o filósofo do Congo, Godefroid Ka Mana Kangudie; Francine Mestrum, da Justiça Global Social, entre outros.

Inscrições

As inscrições individuais e de organizações podem ser feitas até o dia 10 de março, através do site www.fsm2018.org ou presencialmente, durante a realização do evento. Já as inscrições para as atividades e para a Feira da Economia Solidária, foram prorrogadas e podem ser feitas até o dia 25 de fevereiro. Apenas organizações, coletivos, redes, ONGs e/ou associações podem inscrever as atividades que farão parte da Programação do Fórum.

Com o lema “Resistir é criar. Resistir é transformar!”, as atividades do Fórum devem convergir para os seguintes eixos temáticos: Ancestralidade, Terra e Territorialidade; Comunicação, Tecnologias e Mídias livres; Culturas de Resistências; Democracias; Democratização da Economia; Desenvolvimento, Justiça Social e Ambiental; Direito à Cidade; Direitos Humanos; Educação e Ciência, para Emancipação e Soberania dos Povos; Feminismos e Luta das Mulheres; Futuro do FSM; LGBTQI+ e Diversidade de Gênero; Lutas Anticoloniais; Migrações; Mundo do Trabalho; Um Mundo sem Racismo, Intolerância e Xenofobia; Paz e Solidariedade; Povos Indígenas e Vidas Negras Importam.

Todas as atividades inscritas no FSM 2018 são autogestionadas, ou seja, cada organização se responsabiliza por toda gestão do evento (formato, palestrantes, passagens, translado, hospedagem, etc.). Já a Organização do Fórum, garante a infraestrutura para a realização das atividades propostas e a divulgação na Programação do site do Fórum.

Sobre o Fórum Social Mundial

O Fórum Social Mundial é uma iniciativa da sociedade civil organizada, nascida em Porto Alegre, em 2001, que promove o encontro democrático, plural e de resistência com o objetivo de incentivar debates, aprofundamento da reflexão coletiva, troca de experiências e a constituição de coalizões e de redes entre os movimentos da sociedade civil organizada e organizações comunitárias que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital.

O evento é realizado a cada dois anos, sendo que nos anos de intervalo, fóruns temáticos descentralizados e autônomos são realizados para dar seguimento às articulações e reflexões críticas nos diferentes países e regiões. O último foi realizado no Canadá, em 2016.

 

Para a edição do FSM 2018, a novidade é unir aos eixos, lemas e bandeiras com o intuito de contribuir ao processo de mobilização e articulação das resistências entre si, que são abertos e podem ser propostos por redes, plataformas, organizações e movimentos sociais. Alguns lemas já sugeridos em consultas feitas no  site do FSM são: “A vida não é mercadoria”, “Nada sobre nós, sem nós”, “Cidadania sem Fronteiras”, “Vidas Negras Importam”, entre outros. (Fonte: FSM)