Arquivo de Notícias

ARQUIVO DE NOTÍCIAS

19/02/2018
Protestos no Centro e no Iguatemi marcam dia de Greve Geral em Salvador.

20/02/2018 - Além de uma participação expressiva no interior do estado, em cidades como Serrinha, Itaberaba e na região sisaleira, o Sintsef-BA esteve presente nas manifestações da greve contra a reforma da Previdência também em Salvador.  Pela manhã, os trabalhadores realizaram uma manifestação em frente ao Shopping da Bahia e à tarde, em frente ao Fórum Ruy Barbosa, no Campo da Pólvora, de saíram em passeata até o centro, na Praça da Piedade.

A proposta, que representa o fim da aposentadoria para a maioria dos brasileiros, estava prevista para ser discutida na Câmara na segunda-feira (19/02), mas foi suspensa, em razão da intervenção militar no Rio de Janeiro. Mas os trabalhadores garantem que continuarão mobilizados até que o governo desista de vez dessa da Reforma, que prevê aumento da idade mínima de concessão da aposentadoria para 62 anos, no caso das mulheres, e 65 anos para os homens. Na Câmara dos Deputados, será preciso garantir 308 votos para aprovar o texto.

Em reunião ampliada dos fóruns (Fonasefe e Fonacate) que integram o conjunto dos federais, além da participação na greve de ontem, outros eixos unificados foram aprovados. Um deles é a realização de uma grande campanha nacional pela revogação da Emenda Constitucional (EC) 95/16, que congela investimentos públicos pelos próximos 20 anos. A luta contra o desmonte dos órgãos públicos, pela revogação da reforma Trabalhista e por eleições democráticas em outubro também compõe o eixo de unidade entre os federais.

Para a Condsef/Fenadsef, o servidor da ponta, que está lá para atender a população, também sofre com toda a precarização dos serviços públicos imposta por políticas que querem transferir para a iniciativa privada uma responsabilidade que é do Estado. “Esse mesmo estado vai continuar cobrando os impostos e obrigando a população a pagar cada vez mais por um serviço que está garantido como direito constitucional. Ninguém pode admitir isso”, defende Sérgio Ronaldo da Silva, secretário-geral da Condsef/Fenadsef.

(com informações da Condsef)