Arquivo de Notícias

ARQUIVO DE NOTÍCIAS

21/08/2017
Trabalhadores da EBSERH reúnem-se nesta terça-feira com o Sintsef-BA, em Salvador.

21/08/2017 - O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal no Estado da Bahia convoca todos os trabalhadores da EBSERH a participarem da Assembleia Geral Extraordinária, nesta terça-feira, 22 de agosto (terça-feira), às 13 horas, em primeira convocação, e às 13h30min, em segunda convocação, na Maternidade Climério de Oliveira em Nazaré Salvador-Bahia, para discussão e deliberação da seguinte pauta: 1) Informes; 2) Eleição de representantes de trabalhadores da EBSERH para participarem da assembleia de fundação de entidade de grau superior.

No evento, além dos últimos informes sobre as discussões em torno do Acordo Coletivo 2017/2018 da categoria, o sindicato também irá defender a necessidade de manter o foco e a unidade da categoria, num momento particularmente difícil para a os trabalhadores do serviço público como um todo. Entre os temas que trazem impactos diretos ao setor estão a reforma Trabalhista, a Lei que permite a terceirização (13.429/17) nas atividades-fim e a Emenda Constitucional 95/16. Sozinha essa EC engessa todo o orçamento público por pelo menos 20 anos e pode provocar um verdadeiro colapso no atendimento daqueles que dependem de serviços públicos no Brasil.

Para a Condsef/Fenadsef e suas entidades filiadas, como o Sintsef-BA, o que está em curso não é um projeto para o País de combate à crise, mas uma política de austeridade e redução do Estado que atende a interesses de uma minoria que controla o poder econômico. Para a Confederação é preciso combater essa política com urgência e exigir uma agenda que de fato recupere nossa economia.

Desde 2014, sindicatos filiados à Condsef/Fenadsef representam os empregados da EBSERH. De lá para cá, a Confederação participou das negociações para os ACTs, e esteve ao lado da categoria na defesa dos seus interesses, disponibilizando aos empregados o apoio logístico e material para a realização de atividades sindicais, atos, paralisações e greves. Mesmo diante da conjuntura econômica e política desfavorável, os empregados organizados pelos sindicatos classistas mostraram à direção da empresa a sua disposição de luta.

Desta vez não será diferente. Para superar esse cenário hostil não há outro caminho senão a unidade de ação contra essa agenda feroz, cujo objetivo é derrotar os direitos e conquistas da classe trabalhadora e, ainda, inviabilizar a única organização capaz de se contrapor a tudo isso, o movimento sindical. Para os trabalhadores, a estratégia mais eficaz ainda é resistir unidos contra o desmonte do Estado em proveito do capital e dos rentistas.